Close

Arrepiante! O Papa abraça o menino em prantos: “Meu papai ateu está no céu?”

O pequeno de 10 anos levou a Itália e o mundo às lágrimas neste domingo ao perguntar ao Papa sobre o destino de seu papai ateu, falecido recentemente

Emanuele, ou Manuel em italiano, é um menino de 10 anos que comoveu um país inteiro quando, de voz embargada, começou a chorar diante do Papa Francisco neste domingo, 15 de abril de 2018, durante uma visita do Santo Padre à paróquia de São Paulo da Cruz, na periferia de Roma.

Ao ver o pranto do menino, o Papa pediu com afeto que ele fizesse a sua pergunta ao seu ouvido. As imagens que mostram pontífice vestido de branco recordam mais do que nunca um avô que abraça e consola. Francisco então pediu permissão ao menino para revelar às pessoas o que ele tinha lhe perguntado ao ouvido.

“Meu papai ateu está no céu?”

O papa explicou que Emanuele chorava porque seu pai tinha morrido recentemente; o menino contou que, apesar de ateu, ele o havia levado à igreja para ser batizado, assim como aos seus outros quatro filhos. E, depois de contar isso a Francisco, o pequeno perguntou ao Papa se o seu papai estava no céu.

O Papa compartilhou o relato com as pessoas ali presentes e comentou:

“Que bonito quando um filho diz que o seu papai era bom! Um bonito testemunho sobre aquele homem, quando os seus filhos podem dizer que ele era um homem bom! Se esse homem foi capaz de ter filhos assim, é verdade que era um grande homem!”

Muitos dos fiéis seguravam o nó na garganta. O Pontífice então destacou a misericórdia de Deus, “que tem um coração de papai”, inclusive em relação a esse homem que “não tinha o dom da fé, que não era crente”, mas levou “os seus filhos para serem batizados”.

E, olhando para Emanuele, disse ao menino:

“Quem diz quem vai para o céu é Deus! Mas como será o coração de Deus diante de um pai assim? (…) Será que Deus abandona os seus filhos quando eles são bons?”

E o coro dos fiéis respondeu em alta voz: “Não!

Francisco acrescentou:

“Bom, Emanuele, esta é a resposta. Deus certamente estava orgulhoso do seu papai, porque é mais fácil batizar os filhos quando se acredita do que quando não se tem o dom da fé. E sem dúvida Deus gostou muito de ver isso”.

O Papa ainda convidou Emanuele a rezar a Deus e recordar sempre o seu papai:

“Fale com o seu papai, reze ao seu papai. Obrigado, Emanuele, pela sua valentia”.

Fonte: Aleteia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *